pausa musical II – não tem problema não conseguir arrombar a porta…

mas sim, ter força pra poder sonhar com o que há por detrás dela !

“Como é possível isto?
Que coisas tão grandes se mostrem em coisas tão pequenas?

E sorriu, percebendo que estava vendo coisas que nunca vira. Não, não é que nunca tivesse visto. Seus olhos as haviam notado, mas o seu coração não as havia acolhido. E ela compreendeu que o olho só vê aquilo que o coração deseja.”

(por Rubem Alves em “A Toupeira Que Queria Ver O Cometa”)

“O AMOR É FILME – parte II”
(o link para ivan mola e rubem alves está listado no canto direito)

o pior cego é aquele que não ouve !

ela até usou uma metáfora, disse que minha cabeça, se parecia com uma colméia oca e abandonada !
antes fosse mesmo !

“a sua mente está vazia” “e mente vazia, é oficina do diabo”

antes do diabo, do que de um deus preconceituoso e bundão, assim como deve ser o dela !
e antes vazia, do que cheia de convicções que não conseguem olhar no fundo dos olhos e explicar as coisas !
aliás, antes estivesse mesmo vazia e eu não tivesse que travar uma luta diária com os nós que ela me dá.

– desculpa senhora, mas eu não preciso ocupar a minha mente pq não tenho medo dela ! eu fico com ela sozinha…não que seja numa boa, mas tento desfazer com minha dolorosa vigília, os nós que ela pode e provavelmente vai me dar .

mas acho que ela nem entendeu, mesmo porque não ouviu !

que raio de deus é esse que não pode impor a mão sobre a cabeça de um filho por qualquer raio de coisa que o parta ?
que deus é esse que escolhe a dedo, quem deve ou não deve ser batizado com sua água sagrada ?
que raio de discípulo é esse, que adentra ao templo sem ter entendido NADA?

– e sim senhora, a minha casa é assim mesmo !
não tem sofá…nem cadeira…e muito menos cama !
mas seja bem-vinda ! quer tomar alguma coisa ?
(…)
– pois é isso mesmo…eu vivo como os índios…e antes me deitar numa rede bordada pelas mãos de uma bela negra africana, a me deitar numa cama de pau, que fez necessário desmatar florestas e mais florestas pra fazer adormecer as cabeças CHEIAS desses europeus católicos como a senhora !

depois de tudo isso, a máscara “deus” se faz necessária mesmo, né ?
e a pessoa sai daqui dizendo que me ama, e que vai orar por mim, mesmo assim !

e se minha amiga july estivesse aqui, provavelmente diria:
– é cada uma que nós temos que passar nessa vida, né lulu?


sobre o filme, o sonho e a certeza…

eu gosto do filme “As Pontes de Madison”, não apenas porque é uma história bonita de amor…
…eu gosto do filme “As Pontes de Madison” por causa do grande final.
quando ela está no carro, diante da grande encruzilhada…da bifurcação…
ela precisa tomar uma decisão, e toma.
ela não renuncia a sua única e grande paixão por causa dos filhos, nem pelo marido ou o casamento, nem por medo, ética ou alguma promessa que tenha feito!

ela tem uma decisão e dois caminhos a seguir:
matar o momento
ou torná-lo eterno!
e ela sabe disso…ela tem a visão…a rotina faz do caçador, a mais fácil de todas as presas.
e portanto, ela escolhe!
manter o sonho vivo
pra sempre!
isso não é renúncia!

mas é apenas um filme…
e a gente sabe…
nunca existem apenas dois caminhos a se seguir…
o mundo é  muita coisa…
e agora eu tenho certeza disso!

um brinde a nossa impossibilidade de escolha!

em algum tempo atrás
ou na frente
sei lá
num dia comum
como todos o são
sentada no banco duro daquele mesmo trem
onde costumavam ir de um lugar a outro
no entanto
sempre a lugar nenhum
como num flash de relâmpago berulhento
ela pôde te ver
calmo e sentado
numa estação limpa e clara
levantou-se na tentaiva de poder descer
mas o trem não parou
vc apenas sorriu e disse
sem dizer
que era possível

em algum tempo atrás
ou na frente
sei lá
naquele mesmo dia comum
descobriram juntos e então
foi que o trem finalmente parou
nunca existira estação
nem banco
nem tão pouco escolhas
existira uma porta
a porta de entrada do grande deserto
e nela estava escrito:
apenas o sorriso era verdadeiro
e este imenso deserto onde a gente sempre se vê…
…de um jeito OU DE OUTRO!
nunca se preocupe e seja bem vinda!

sobre a tontura

são tantas e tantas voltas
durante tanto tempo em torno de si mesmo
que o pensamento ficou confuso e cansado
então não tem problema ficar tonto
só tem que parar
um pouco

ainda bem que eu descobri a “biblioteca municipal monteiro lobato”
vou dar um tempo ao meu pensamento em companhia
de um velho e um mar
um espelho
um certo Sr. Rosa
e é claro, da nova paixão
o cinema!

e não é que os sabiás sabem mesmo?

hj de tarde, eu saí de casa pra visitar uns amigos…quando cheguei na escadaria do meu prédio – que dá acesso à rua – um sabiá sorrateiramente invadiu a minha bolsa e roubou minha carteira, meu bilhete único, meu porta moedas…
…enfim, essas coisas chatas que todo mundo tem que ter e que são um saco de se recuperar!!!
ele colocou tudo dentro de uma sacola amarela que carregava no bico e me disse enquanto voava em direção a minha janela:

– vc não vai precisar dessas coisas hj lulu…deixa isso em casa pq assim vc carrega menos peso! vc não anda se quixando de dor nas costas?

– mas eu vou precisar de dinheiro, de bilhete para o ônibus…eu tenho que levar essas coisas, sabia? sr. sabiá!!!!

– vc não vai precisar delas hj…eu garanto!

bem, resolvi acreditar.
afinal, não é todo dia que um sabiá conversa com vc, né?

lá na casa dos meus amigos dei a maior sorte: um deles ia pra paulista, que é onde pego o metrô em direção a oficina de video que eu estou fazendo…
claro!! ganhei uma carona…e 10 reais emprestados.

hj de noite, quando eu estava voltando pra casa, um humano sorrateiramente invadiu meus pensamentos e roubou a minha bolsa…
eu bem tentei explicar pra ele sobre o sabiá…mas ele nem me deu ouvidos.
coitado! fiquei com pena…ele não deve conhecer amigos tão sabidos como eu…

mas depois eu me dei conta, dentro da bolsa foi um pedacinho de mim…
sabe aquele caderninho que dorme do seu lado na cama?
onde vc anota sonhos, idéias, informações preciosas e desenhos?
pois é…

quando eu cheguei em casa, ele já estava aqui na janela me esperando…

– vc heim?! tão sabido, não sabia que o caderno era mais importante que a carteira?

– é que eu tinha que escolher…
a carteira eu nunca iria poder te ajudar a recuperar…
mas o caderno de sonhos é fácil…basta vc fechar os olhos e ouvir o meu canto outra vez!