é que a gente fica feliz às vezes, em poder representar !

e daí, a coisa vai evoluindo…

LULU…

FRIDA KAHLULU

NEGUINHA FULÔ-LU – (o ponto que não há mais onde se pintar)

UM SE EMPOLGA DALÍ


(thiago)

O OUTRO DAQUI


(danis – a pimentinha ! – rsrsrsrsrsrsrs)

E A GENTE VAI APRENDENDO

.

.

.
APESAR DE TUDO…

A SE DIVERTIR !
AFINAL, O QUE MAIS A GENTE PODE FAZER ?

HAUHAUHAUAHUAHUAHUAHUAHUAHAUHAUHAUHAUH !!!!!!!!!!!!

borboletas?

NÃO, EU PREFIRO OS ESCAFANDROS !!!

eu consigo enxergar dois icebergs que se desprendem da geleira-mãe no filme/livro “o escafandro e a borboleta”.

o primeiro, é aquele óbvio…que todo mundo viu !
que todo mundo vê !

o segundo, é aquele mais hermético, que se desprende por – e somente por – um escafandro !
veja, não é suficiente saber o que é…
é preciso saber para que serve um escafandro !

o aurélio diz assim:

escafandro: s. m., vestimenta hermeticamente fechada e provida de um aparelho respiratório, que permite trabalhar debaixo de água.
eu acrescentaria sem nenhum pudor: trabalhar debaixo de água e enxergar algo além da escuridão do oceano profundo onde 8/9 da nossa humanidade, estão submersos!

veja, não é suficiente saber que eles existem…e pra que servem…
é preciso se reconhecer dentro de um deles, os escafandros !

“então, ao renunciar à imortalidade da inconsciente geleira,
ele ganha a possibilidade da consciência.”

Jean, pela primeira vez sai de seu quarto/prisão (onde sempre esteve, inclusive antes de sofrer o acidente) e através de um vidro, no corredor do hospital, consegue ver a si mesmo. e pela primeira vez se reconhece “escafandrerizado”: enjaulado, dependente, preso e mais do que isso: mortal!!!

automaticamente ao se reconhecer “escafandrerizado” , ele pensa em tudo o que não foi capaz de fazer, e tudo o que não foi capaz de ser até ali (o “tribunal interno” – que condena e mata!), então ele se desprende e começa a morrer !

“O seu derreter torna cada Iceberg único:

O seu trajeto segue então a sua individuação:
do congelado, para frio, para o mais quente, para o derretimento da sua existência…
O seu derreter torna cada iceberg único, inconfundível…
e o seu gelo o torna único, o mesmo, com a geleira-mãe.
Paradoxal é a existência do iceberg.”

mas aquilo que encarcera, em algum momento, pode – e é – aquilo que liberta !
pois então, eu prefiro os escafandros !

“Antes que os olhos possam ver,
devem ser incapazes de lágrimas.

Antes que o ouvido possa ouvir,
deve ter perdido a sensibilidade.

Antes que a voz possa falar em presença dos Mestres,
deve ter perdido a possibilidade de ferir.

Antes que a alma possa erguer-se na presença dos Mestres,
é necessário que seus pés tenham sido lavados no sangue do coração.”

e só depois de ter morrido, jean renasce e ele diz:
“além de um olho e audição, eu possuo imaginação e lembrança !”
e com isso, ele obriga a si mesmo a reinventar a sua própria existência ! a ponto de esquecê-la !

“A luz que reflete na parte emersa.
É a luz refletida que reflete sobre a Lógica do Iceberg.

A lógica do iceberg possibilitou, pela sua inquebrantabilidade, o surgimento de um terceiro princípio pela sua manifestação:
o reflexo da luz sobre a pequena parte emersa.
Pela possibilidade da relação água-água cruzada na relação água-ar, a luz reflete na parte emersa.
A luz refletida é que reflete sobre a lógica do iceberg, como um efeito colateral, que se torna mais do que isso ao refletir sobre a lógica do iceberg: não está ali mas existe.”

“Refletir apenas sobre a Lógica do Iceberg
é iludir-se sobre a possibilidade de rompimento da Lógica do Iceberg.
É necessário esquecê-la.
Então, a Luz reflete sobre a própria Luz.

Então naturalmente se pergunta:
sobre o que mais a luz pode refletir?
Acha-se corriqueiramente que sobre nada além da lógica do iceberg – e então ela na sua reflexão se ilude sobre a possibilidade do rompimento da lógica do iceberg.
Então o reflexo fica refém do trajeto do iceberg.
O reflexo da luz não poderia refletir sobre a luz?
Então ele se esqueceria da lógica do iceberg.
De alguma forma, é necessário – para se superar esta armadilha racional e prática – respeitar regiamente a lógica do iceberg, esquecendo-a.
Porquê?
Porque foi o próprio reflexo que a inventou.”

“Desenvolvi uma técnica de luta flexível,
sem posições fixas.

As artes marciais
congelaram
o que antes era fluido.

Não passam de devoção cega ao
método inútil
de rotinas sem saída”
(By Bruce Lee)

“Ah! Quanto falta pra voltarmos a sonhar?

(Ou, ainda de outro modo, buda perdido – ou achado – nas entranhas de frames-películas [escafandrianos…]
porque sim, a sessão [das 14:40h da tarde de domingo sempre foi] a mais barata!!!)”

spiderwick

o livro
o segredo
e todo o resto
eram apenas visões comuns
que serviam para lembrá-los o tempo todo
àqueles que podem vê-las e que se reconhecem aliados
a manter vivo o que mais importa
a única coisa Real
a única coisa que protege
que sustenta
e que sustentará
mesmo quando deixarem de existir !

pois veja se você me compreende:

thespiderwickchronicles.jpg

O CÍRCULO !!!!

quem disse que tartaruga não faz arte?

ninguém – exceto os macacos e as carpas, é claro – havia notado…
elas já estavam há vários dias sem comer, greve de fome!!!
mas eu percebi: aquelas rações abandonadas, nada mais eram que o grande protesto das tartarugas.
quem disse que tataruga não faz protesto?
as rações jogadas pela platéia já estavam inchadas de tanta água absorvida de tantos dias…
então…cansadas de não serem entendidas, elas resolveram enfim…
radicalizar!!!!

turtle_blog1.gif
foto: lulu

foi o maior sucesso…
e a galera não parava de vibrar!!!

monkey_blog1.jpg
imagem