é preciso acordar todos os dias

e diante do que quer que seja (pq realmente não importa)
é preciso decidir de novo :
não, eu não vou parar !

Anúncios

a parte em mim

única que vive
hj é a mesma que chora !
mas e daí ?

foi meu coração que passou o dia gritando aqui dentro
e fui eu que passei o dia não querendo ouvir
me esquivando
escondendo
tentando fugir
qq tipo de distração serviria
mas quanto mais eu fugia
mais alto ele cantava
porque não adianta nada, né?
não fui eu mesma que aprendi a ouví-lo ???
agora tenho que aguentar todas as verdades que ele tem a dizer
porque mesmo sem saber
eu sinto !

“meu troco é pouco … é qua$e nada” ! mas e daí ?

eu já havia me conformado … mas o desejo ainda era mto forte !
poxa … eu queria MTO ir no show do “o rappa” ontem … mas eu estava sem grana … eu estava sem grana e eu estava sem grana !
saco !
ia ser do lado da minha casa …
mas eu realmente estava sem grana !

eis que nos 45 do segundo tempo (completamente do nada) :

triiiiiiiiiimmmmmmm !

– e ai lulu, tá em sampa ?
– aham !
– tem carteirinha de estudante ?
– tenho falsa !
– mas vc entra com ela nos lugares ?
– entro !
– então se troca rápido … tou passando ai, vamos no show do “O Rappa” !
– wow !!!

=)))

VÁRIOS HOLOFOTES
(a música é uma crítica social …
mas pra mim … é uma descrição de mim mesma !)

Vários holofotes ligados aqui,
A água do banho já aqueceu,
Crianças correm para fora do campinho
Quem sabe aqui dentro o que acontece sou eu

É o estado de sítio diário e o muro é alto e contém a inchente.
Um limite de arame farpado não acaba com a fome, com a fome da gente.
O chão que trinca o teto infiltrado é risco de alerta ligado
Sinto o medo no espaço apertado é o risco de alerta, de alerta ligado

Vários holofotes ligados aqui,
A água do banho já aqueceu,
Crianças correm para fora do campinho,
Quem sabe aqui dentro o que acontece sou eu

O coração, síncope ritmada me protege dos meus sentimentos
O santo dorme, o santo dai-me muita coisa de bom que acontece com a gente
O sol deixou de ser paisagem e passou a queimar de repente
O sol deixou de ser paisagem e passou a queimar de repente

Olho a tv e o rádio ligado, não suportam a imensa gritaria.
Já não há mais, já não há mais,
O barulho lá fora, o barulho lá fora,
Foi selada, foi selada a [nossa] calmaria.

Águas lavam o chão da evidência
na área mansa ela é testemunha
no silêncio não existe flagrante
foi lavado o asfalto com cunha

águas lavam o chão da evidência
na área mansa ela é testemunha
no silêncio não existe flagrante
foi lavado o asfalto com cunha

Vários holofotes ligados aqui,
A água do banho já aqueceu…

“que deixemos de ser paisagem…a gente tbém !”

os passos desta dança – parte final ! ou: “abre teus olhos, e desperta !”

“Uma mosca solitária acabava de viver suas vinte e quatro horas de vida. Uma vida toda contida num único dia. E a lagarta verde que um dia seria uma bela borboleta, só seria, porque um passarinho faminto acabou de arrebatá-la do resto da folhagem verde que ela se empenhara em comer.”
(por kali em 29 de julho de 2006)

nesse mesmo momento, um garoto bobo sai por ai a procura de um manual de poder … (como se fosse possível um manual para isso)

enquanto isso eu, deitada tranquilamente no meu puff de frente ao meu velho monitor, ouço um certo pirata do caribe dizer :

“- Vc tem que achar a chave e o baú …
– Onde está a chave ?
– Escondida …
– E o baú ?
– Escondido …”

algumas horas depois do outro lado da fronteira, uma certa “princesa arquiteta” reflete consigo mesma :
“estamos guardando à 7 chaves nas nossas mãos ABERTAS …
ele nao consegue nem vê-las, imagine pegá-las !”

pq se vc olhar com cuidado, sempre é !

FIM

os passos desta dança parte II

(ou: é preciso olhar cada dia…como se fosse novo, pq se vc olhar com cuidado, sempre é !
e deixar-se morrer…pelo que de irreal está, verdadeiramente morrendo.
ou ainda: a contradição: “é preciso ir, nada examinar e agarrar a primeira coisa Real que aparecer.”
ou por fim: eis a importância de se aprender a dançar: existem perguntas erradas, à estas, é possível dançar para poder enxergar o erro. mas existem perguntas corretas, à estas, vc tem que se agarrar e suportar a verdade de que se está só !)

“Só depois de muito tempo fui entender aquele homem…”

Lulu – Vc conheceu alguém, que por mais corajoso que fosse, conseguiu formatar toda a sua memória para à partir daí responder estas perguntas?
Sei lá, ainda acho que conseguir isso é o mesmo que conseguir que a simulação de uma personalidade torne-se o átomo de uma nova alma…

Hammadi – Eu vou reponder para você de uma maneira óbvia, simples, e que funciona: Somente alguém que ainda possui memórias-lixo impregnadas em seus circuitos, faz a pergunta se existe alguém que conseguiu formatar sua memória.
Agora Lu, nada acontece simplemente. Simplesmente, as coisas continuam como estão!
Como morrer a cada dia? Essa é uma pergunta correta? Sim, existem perguntas erradas! Como morrer a cada dia, como livrar-se da memória acumulada, de todo peso extra? Essa é uma pergunta correta? Porque isso te incomoda? Porque você quer se livrar da memória acumulda, do sofrimento, prque você quer morrer? Porque você quer ficar bem? Se for isso, então você traça um plano para “ficar bem” e chama isso
de “morrer a cada dia”.
É claro que você sabe o que quer. Você quer ficar bem. Porém, toda vez nós pegamos o bastão e acertamos sua cabeça!
Então você fica ralmente confusa, e também diz que está confusa para tentar não levar mais paulada! É exatamente como as crianças fazem!
Amiga, quebrar nossas resistências é algo doloroso. É essa angústia.

Lulu – Existe uma coisa que eu preciso dizer…ok…eu entendo o que vc quer dizer com morrer para tudo o que acreditamos ser, isso tem acontecido muito comigo ultimamente…aconteceu agora mesmo…quando entrei no SV e li o que vc escreveu sobre os cilclos…but…
Eu não sei quanto a vc….mas comigo, no mesmo instante que jogo fora algo que acredito, substituo isso por outra coisa…….me parece inevitável, não?!!!!!
E isso é parte do que está me deixando meio doida desse jeito….porém me parece que será para sempre assim…….joga-se algo fora e substitui isso por outra coisa….não há como ficar vazio….caramba !!!

“Eu queria ouvir muito, mas ele me disse pouco…”

Hammadi – Todos os dias quando acordo, Sempre sou Eu e sempre é Hoje!!!

Download…
.
.
.
Formatar toda a sua memória?
Todos os dias quando acordo, sempre sou Eu e sempre é hoje!!!
Eu vou reponder para você de uma maneira óbvia, simples, e que funciona:
Todos os dias quando acordo, sempre sou Eu e sempre é hoje!!!
Simplesmente, as coisas continuam como estão!
Todos os dias quando acordo, sempre sou Eu e sempre é hoje!!!
Substituição…claro!!!!
Todos os dias quando acordo, sempre sou Eu e sempre é hoje!!!
Não ha como ficar vazio…
Todos os dias quando acordo, sempre sou Eu e sempre é hoje!!!


É claro que as substituições existem e deixar que elas aconteçam pode ser uma forma de estar vazio…
ou ainda…estar vazio é o mesmo que não fixar-se em nenhuma delas…
Porém, para não fixar-se nelas é preciso coragem…é preciso entender com o coração que a cada segundo passado…
Sempre sou Eu e sempre é hoje!

“Quando se sabe ouvir, não precisa muitas palavras…”

Lulu – Droga! Mas eu havia escrito um post…
Outra parte de Lulu – Pois é…é preciso destruí-lo!
Lulu – Mas ele ficou bem escrito! Foi uma idéia genial e eu gosto dele.
Outra parte de Lulu – Porém não faz mais sentido. Coragem Lulu, livre-se dele. Foi uma idéia legal, mas já passou…
Lulu – Sim, já passou…

“Se hj canto esta canção, o que cantarei depois ?”
(por lulu em 17/07/06 – com trechos da música “dias de luta” – ira)

os passos desta dança (ou: aprenda a dançar…ou ainda: “ao universo pertence os que dançam, os que não dançam nem sabem o que acontece.”)

Qual o problema com os patos?
(por Kali, sexta-feira, 22 de setembro de 2006)

Como o cisne desliza na água negra do fim do dia, suave, como um pensamento puro num mar de lama, como a flor de lótus.

Eu queria deslizar, passar suavemente além, mas os demônios me atacam por todos os lados.

Uma mão dura e fria comprime meu coração, como uma nuvem cinza encobre o sol no inverno. Faz frio, e é a promessa da passagem das horas que me faz perdurar.

Não se pode abandonar este mundo apenas saindo dele.
É preciso passar através.

(by patinho feio)

por kaslu às 9:14 AM
o primeiro problema dos patos é: que nós somos os patos !
o segundo problema dos patos é: todo dia quando acordo sou o mesmo pato, sempre o mesmo pato!!!
o terceiro problema dos patos, e o pior: o que faço com essa vontade de encontrar a minha família, o meu círculo, a minha espécie (de cisnes talvez!)?

por lulu às 6:35 PM
O que faço com essa vontade Kaslu ? O que faço com essa vontade Kali ?

por kaslu às 10:32 AM
a resposta no mundo animal das estórias está no baby, o porquinho: pratique o impossível!
Existe alguma prática mais impossível do que um porco se transformar em um cão-pastor e o melhor cão-pastor a ponto de ganhar a competição? Porco, vc arrasou, porco!!!!

por lulu às 8:11 AM
O patinho que já é feio por natureza torna-se mais feio ainda quando: ou aceita sua falsa família (ainda que pareçam cisnes belos e deslizantes), ou se deixa aceitar por ela…

Mas me diga kaslu: vc ainda se lembra o que moveu baby, o porquinho, a ponto de fazê-lo transformar-se em cão-pastor?? E da melhor espécie????

por lulu às 8:15 AM
Sim…eu me lembro…
É aquele Outro que fica gritando aqui dentro dizendo: Não, isso não é suficiente!!!!

por kaslu às 2:59 PM
pois é, um relacionamento íntimo e poderoso entre ele e seu “dono” (o Outro – o verdadeiramente humano)… mas tb porque ele foi adotado pela cachorra (mulher do cão-pastor)… e o amor (materno) da cachorra por ele, porquinho, e dele para com ela (possibilitou a criação do desejo do impossível: querer superar a própria morte pessoal e salsicha)!!! Ou da maneira mais estranha: permitiu que ele estupidamente (por causa do amor verdadeiro) se achasse um igual – isto é um cão-pastor. Em um primeiro momento achamos que somos patos, depois que não somos patos, depois que somaos mais do que patos e então nos transformamos em cisnes! But, para aparecer o cisne… o pato desaparece!

por lulu às 6:39 PM
“Ou da maneira mais estranha: permitiu que ele estupidamente (por causa do amor verdadeiro) se achasse um igual – isto é, um cão-pastor.”

Eu conheço bem esta história…posso reconhecer-me dentro, perfeitamente dentro dela….e como posso!!!!!

por kaslu às 8:46 PM
Lulu, não se espante: vc pode ser um cão-pastor-porco…
Vc arrasou, porco!!!

(ou por fim: eis as maravilhas de se ser pato: para aparecer o cisne…o pato desaparece !
but…somente se reconhecendo pato, de todo o coração (e através do amor verdadeiro – que pode ser por qq coisa, desde que seja verdadeiro), ele ganha a capacidade, ainda que impossível, de desaparecer!)

(os links para kali e kaslu estão listados no canto direito “em círculo”)

se eu bem me lembro … a coragem os distinguirá !

domingo, 19 de junho de 2005

sobre o que passou ou passará desapercebido
(ou : pq entre o extasi de ser um trapezista e a segurança de estar no picadeiro, eu escolho andar na corda bamba ?
ou ainda : são apenas os rastros, que se antecipam aos próprios passos !)

“E o mundo permanece
Como se nunca tivéssemos partido
O chão sustenta as paredes
E as paredes tecem o labirinto
Os prédios
Cada vez mais altos
Aniquilam o horizonte
Bem-vindo ao céu!
Agora está alto o bastante
Veja
Esse é o nosso fim
Eu que te escrevo
E você que me lê
Ambos tão reais…
Porque então
Tentamos
Desesperadamente
Existir?
Não podemos mais voltar atrás
Nem que você me convença
De que tudo isso não passa de um punhado de palavras
E que eu poderia te escrever para sempre
E você poderia continuar lendo-me
Confortavelmente
Nas historias que nos fazem dormir
Abra os olhos
Veja
Nós estamos em plena queda
É que esse momento é assim mesmo
Parece uma eternidade
Mas dura apenas o tempo
Do próprio tempo colidir com o espaço
E tudo que somos
E tudo aquilo que representamos
Chega a um fim

Provavelmente
Quando estiver lendo essas palavras
Já não seremos mais quem fomos
Por isso
Deixo com você a tarefa de escrever-se
Com suas próprias palavras
Não esqueça
O mundo não notará a sua ausência
Muito menos a transmutação em decorrência do impacto
Toda a encenação será armada diante de si
O próprio vestígio
Assimilado pelas leis desse mundo
Cuidará para que não haja vestígios
Da queda e de qualquer espelho quebrado
Tudo será varrido e recondicionado
Veja
Está tudo no lugar
Você está em frente ao monitor
Suas roupas, os cheiros, os sons
Aparentemente nada mudou
Impressionante, não?
Sim, é assim mesmo
Mas preste atenção
Mesmo que agora
Haja somente a verdade
Você terá que representar alguns papéis
Eu serei um deles
E então
Através de mim
Você manterá a lembrança real
Escrevendo
Como se não soubesse
Que o mundo permanece
Como se nunca tivéssemos partido
Eu serei o que em você consegue se lembrar
Do fim e do começo
Em meio a esse mundo que permanece
Mesmo quando já não existe mais.”

(por Jeronimooo Sanz)