(…)

pequeno-principe.jpg

Vc se torna responsável por aquilo que cativa????

Anúncios

é tudo isso que tenho a dizer para o mundo!

– lulu, vc tem certeza?

– eu tenho certeza…eu não poderia te explicar…mas eu tenho certeza!

– sabe porque? de repente vc entendeu errado! às vezes a gente tem uma pré-disposição a achar que…

– mas eu não acho…estou dizendo que tenho mesmo certeza!

– lulu, vc é louca! como vc pode dizer que tem essa certeza? pensa comigo…

– nada de pensar…quando vc Sabe, Sabe com o seu Sangue, Sabe com os seus Ossos, com os seus Olhos e com o seu Coraçao! não há o que explicar…e nem o que pensar. se eu começar a pensar sobre isso, é automático…eu perco a certeza!

é preciso diminuir, pra atravessar a porta!

alice_01.gif

eu me sinto como a Alice
uma menina gigante
presa dentro de uma sala
onde a porta de saída é minúscula
à procura de um coelho branco
que já perdi por muitas vezes
e talvez as minhas lágrimas
assim como as dela
me levem pra algum lugar
e que eu acorde
antes do sonho acabar!
.
.
.
mas um veado-mágico
é uma criatura fantástica
que uma caçadora-bruxa de MUITA sorte
por pura coincidência
encontra uma vez na vida!
ele é mágico
porque sempre aparece
para lembrá-la a ser velha!
.
.
.
– vc é tão entediada…tão entediada…que sua personalidade potinho está montada à partir do seu tédio.

– e o que eu posso fazer pra perder o meu tédio???

– se apaixone de verdade, como vc diz que se apaixona nos posts…seja velha, lulu!

– eu não sei ser velha, e as coisas sempre acontecem erradas. a nossa impossibilidade de escolha é uma maldição. eu não escolho nada e quando posso escolher, existe um abismo que não pode ser desfeito. e isso me dá tédio!

– não existe nada errado…nem certo, bobinha…

– o que vc faria por uma paixão?

– faço! morro!

– mas isso que estou falando, não tem nada a ver com a bobeira que vc escreveu sobre “madison”.

– pq é uma bobeira? não é sempre assim que acontece com os momentos? sempre?

– nada a ver…o filme é lindo, maravilhoso…mas muito mais pelas barreiras da mulher submissa que ela rompe, do que sobre o amor em si. a vida é do jeito que é…não há nada a fazer, nem certo, nem errado. a única coisa que pode ser mudada e maravilhosamente, é lulu! e mesmo assim, a vida de lulu continuará a mesma!

– eu sempre fico parada nas únicas horas que posso e devo agir. eu sempre vou andando até lá e quando chego não me jogo…isso não é ser uma bruxa!

– ah! uma pessoa entediada diz assim…bem, vou pela direita…não, vou pela esquerda…não não….
ah!!! tanto faz, vai dar tudo no mesmo. e é verdade…vai dar mesmo! a não ser no interior da lulu….aí está a diferença…aí está ser uma bruxa!

sobre o filme, o sonho e a certeza…

eu gosto do filme “As Pontes de Madison”, não apenas porque é uma história bonita de amor…
…eu gosto do filme “As Pontes de Madison” por causa do grande final.
quando ela está no carro, diante da grande encruzilhada…da bifurcação…
ela precisa tomar uma decisão, e toma.
ela não renuncia a sua única e grande paixão por causa dos filhos, nem pelo marido ou o casamento, nem por medo, ética ou alguma promessa que tenha feito!

ela tem uma decisão e dois caminhos a seguir:
matar o momento
ou torná-lo eterno!
e ela sabe disso…ela tem a visão…a rotina faz do caçador, a mais fácil de todas as presas.
e portanto, ela escolhe!
manter o sonho vivo
pra sempre!
isso não é renúncia!

mas é apenas um filme…
e a gente sabe…
nunca existem apenas dois caminhos a se seguir…
o mundo é  muita coisa…
e agora eu tenho certeza disso!

pupilas

madson.jpg

na periferia da pupila dos olhos
caminhando entre mil voltas
entre mil mundos
apenas por caminhar
eis que surge a fenda
o abismo
o centro
paro
miro lá dentro
e encontro a resposta de tudo
apenas 5 segundos

SUSPENSÃO

os seus olhos se tornam espelho
por 5 segundos
espelho refletindo mistério
mistério que reflete certeza
eu sonho vc
tanto quanto vc me sonha
e de um jeito ou de outro
a noite sempre amanhece
estamos a um passo de tudo
mesmo não querendo nada
é sublime
5 segundos se passam
e na milésima primeira volta
do milésimo primeiro mundo
o nosso coração real interligado
a nossa pupila real que é a mesma
mesmo dentro do virtual
mesmo sem esperança
vai sempre dizer que sim…
é possível !

pareço estar fugindo

no meu sonho
eu não falava sozinha
a minha boca não apenas se movia de baixo para cima
sem emitir sentido nenhum

no meu sonho
um grão de areia
apesar de todo o vento e das intempéries
podia escolher dar as mãos e voar junto dançando em ciranda

no meu sonho
eu não estava fugindo
nenhuma direção era contrária
todas levavam a lugares incrivelmente distantes e desconhecidos

no meu sonho
eu te encontrava e te perdia
“[n]a propulsão necessária para manter a pulsação” 
e isso não era um incômodo

o meu sonho era uma dança
onde tudo era possível
mas sim, era apenas um sonho
eu acordei
mesmo sem acordar